free website hit counter

AJUDE - AÇÕES


JOGOS ONLINE - GRÁTIS - JOGUE E CONCORRA A BRINDES EM DÓLAR

3 Itens por R$99
Qual seu Estado ? Cidade:

CIDADE - ESTADO

Transporte Ajuda A Desacelerar Inflacao Em Uberlandia No Mes Dezembro De 2017 Aponta Ipc


Fonte: https://g1.globo.com/mg/triangulo-mineiro/noticia/transporte-ajuda-a-desacelerar-inflacao-em-uberlandia-no-mes-dezembro-de-2017-aponta-ipc.ghtml


Voltar

Transporte ajuda a desacelerar inflação em Uberlândia no mês dezembro de 2017, aponta IPC | Triângulo Mineiro | G1 G1Triângulo MineiroNotícias da sua região Centro Oeste voltar Nordeste voltar Norte voltar Sudeste voltar Sul voltar Transporte ajuda a desacelerar inflação em Uberlândia no mês dezembro de 2017, aponta IPC Economista explica que, comparado com novembro, aumento do preço de combustíveis caiu cerca de cinco pontos percentuais no Índice de Preços ao Consumidor. Facebook Twitter email facebook googleplus pinterest twitter whatsapp Por G1 Triângulo Mineiro 12/01/2018 18h39 Atualizado 12/01/2018 18h39 Baixa em inflanção foi influenciada pelo setor de transporte público (Foto: Settran/Divulgação) O setor de transportes teve um papel importante para ajudar a desacelerar a inflação de Uberlândia no último mês de 2017. É o que mostra o Índice de Preços ao Consumidor (IPC) de dezembro divulgado nesta sexta-feira (12) pelo Centro de Pesquisas Econômico-Sociais do Instituto de Economia e Relações Internacionais da Universidade Federal de Uberlândia (Cepes/IE/UFU). Com a inflação em 0,34% na cidade- uma queda de 0,17% em relação ao mês anterior, quando foi registrado um índice de 0,51%-, a pesquisa aponta que os setores que mais contribuíram para a queda foram o de transportes (que caiu de 2,87% para 2,54%), com destaque para os combustíveis (com redução de 8,64% para 3,16%), e de transporte público (com variação de 1,35 para 0,07%). O IPC calcula a variação de preços para famílias que ganham de um a cinco salários mínimos em nove grupos de produtos: saúde e cuidados pessoais, habitação, educação, alimentação e bebidas, artigos de residência, vestuário, transportes, despesas pessoais e comunicação. O economista Álvaro Fonseca, responsável pela divulgação do IPC, contou que os outros grupos que continuaram diminuindo seus valores, quando comparados ao mês de novembro, foram: de alimentação e bebidas (de -0,09% para -0,07%), habitação (de -0,13% para -0,95%) e vestuário (de 0,98% para -2,44%). O economista explica que, em relação à habitação, a desaceleração nos preços está relacionada à energia elétrica. Os setores que tiveram aumento foram os de artigos de residência (de -0,72% para 0,95%), saúde e cuidados pessoais (de 0,43% para 2,87%), despesas pessoais (de 0,58% para 0,59%), educação (de -0,49% para 0,99%) e comunicação (de 0,05% para 0,43%). Tomata estava mais de 8% mais barato em dezembro comparado ao mês anterior, diz Cepes (Foto: Reprodução/TV TEM) Cesta básica Com valor de R$ 343,32, o gasto mensal com a cesta básica de alimentos em Uberlândia durante o mês de dezembro registrou o segundo valor mais baixo de 2017. O menor preço de cesta básica do ano passado foi a de outubro, quando o custo foi de R$ 342,70. Ainda de acordo com o Cepes, o preço da cesta básica de dezembro está relacionado à queda registrada em três produtos: tomate (-8,15%), feijão (-7,81%) e margarina (-5,37%). MAIS DO G1 PolíticaTemer afasta por 15 dias 4 vice-presidentes da Caixa após recomendação do BChá 1 hora Política Lava JatoMPF pede 386 anos de prisão para Cunha e 78 para Henrique AlvesPolíticos estão presos e são investigados sobre desvios em fundo do FGTS.há 6 horas Política Segunda instância da Lava JatoRelator nega pedido para Lula ser ouvido antes de julgamento no TRF4Advogados haviam pedido que o ex-presidente prestasse novo depoimento. há 1 hora Rio Grande do Sul Mudanças na aposentadoriaSe não for em fevereiro, não vota mais, diz Maia sobre a Previdênciahá 2 horas Política Saúde públicaBrasil registra 35 casos e 20 mortes por febre amarela desde julhohá 2 horas Bem Estar Risco de contaminaçãoOMS amplia área de risco de febre amarela para todo o estado de SPhá 8 horas São Paulo Blog da Andréia SadiLíder do PTB propõe a Temer outro nome para ministério do TrabalhoConversa ocorreu após nova derrota ao tentar dar posse a Cristiane Brasil.há 8 horas Blog da Andréia Sadi Mundo50 manifestantes são detidos durante primeira missa do papa no ChileAtivistas marcharam contra casos de pedofilia na igreja. há 20 minutos Mundo Crise carceráriaGranada e armas são achadas em prisão de GO; diretor promete açãoCármen Lúcia visitaria o local, mas desmarcou após informação de que havia explosivos no local.há 24 minutos Goiás Veja mais globo.com Globo Notícias © Copyright 2000-2018 Globo Comunicação e Participações S.A.
... ++ Mais

TAGS:

Transporte ajuda desacelerar inflação Uberlândia mês dezembro 2017 aponta Triângulo Mineiro G1Triângulo MineiroNotícias região Centro Oeste voltar Nordeste voltar Norte voltar Sudeste voltar voltar Transporte ajuda desacelerar inflação Uberlândia mês dezembro 2017 aponta Economista explica comparado novembro aumento preço combustíveis caiu cerca cinco pontos percentuais Índice Preços Consumidor. Facebook Twitter email facebook googleplus pinterest twitter whatsapp Triângulo Mineiro 12/01/2018 18h39 Atualizado 12/01/2018 18h39 Baixa inflanção influenciada pelo setor transporte público (Foto: Settran/Divulgação) setor transportes teve papel importante para ajudar desacelerar inflação Uberlândia último mês 2017. mostra Índice Preços Consumidor (IPC) dezembro divulgado nesta sexta-feira (12) pelo Centro Pesquisas Econômico-Sociais Instituto Economia Relações Internacionais Universidade Federal Uberlândia (Cepes/IE/UFU). inflação 034% cidade- queda 017% relação mês anterior quando registrado índice 051%- pesquisa aponta setores mais contribuíram para queda foram transportes (que caiu 287% para 254%) destaque para combustíveis (com redução 864% para 316%) transporte público (com variação para 007%). calcula variação preços para famílias ganham cinco salários mínimos nove grupos produtos: saúde cuidados pessoais habitação educação alimentação bebidas artigos residência vestuário transportes despesas pessoais comunicação. economista Álvaro Fonseca responsável pela divulgação

HTML Box Comentário está carregando comentários ...